83% dos profissionais de marketing planejam usar os Stories do Instagram

Funcionalidade do Instagram não mostra sinais de desaceleração, mesmo não sendo efetiva em plataformas como Twitter e Linkedin

Ao contrário do que muita gente pensa, o formato Stories do Instagram não apresenta sinais de cansaço. Eles ainda representam uma uma parte importante da rede social, além de constituírem uma nova forma para que criadores possam desempenhar maior papel no social commerce.

Entretanto, mesmo que tenha dado certo para plataformas como Snapchat e Instagram, recentemente a funcionalidade foi encerrada no Twitter e no Linkedin.

A seguir, vamos abordar um pouco do background de quase oito anos de Stories, bem como apresentar práticas fundamentais para o futuro das estratégias usando a ferramenta.

Os Stories do Instagram e de outras plataformas até aqui

Existem duas razões principais que fazem dos Stories uma ferramenta essencial para o marketing em mídia social: a primeira é que eles incentivam a interatividade e a segunda tem a ver com a possibilidade de direcionamento de tráfego.

Se há 8 anos a principal vantagem dos Stories era o fato de que eles desapareciam depois de 24 horas (o que ainda acontece, exceto quando o conteúdo for salvo), hoje são os recursos interativos e de integração que fisgam os profissionais.

Assim, os elementos que o Instagram inclui nos Stories permitem que consumidores possam interagir com as marcas e que estas apostem em produtos com grande potencial competitivo, especialmente por meio do “deslizar para cima”.

Com isso, a marca é capaz de direcionar o tráfego de forma confiável para fora das plataformas de mídia social, por meio de um recurso interativo que abre um link da web diretamente no story que está sendo visto.

Dessa forma, profissionais de marketing em todo o mundo concordam que estar no feed é importante apenas para o conhecimento da marca, mas o chamariz de compra tem sido muito mais atrativo nos Stories.

Casos à parte: Twitter, LinkedIn e Pinterest

Se o Snapchat foi o pioneiro dos chamados “conteúdos efêmeros”, ou seja, que desaparecem após 24 horas, o Instagram foi quem popularizou o formato. Já o Twitter, o LinkedIn e o Pinterest representam a chamada “terceira onda” dos Stories.

No entanto, a falta de envolvimento do usuário levou o Twitter a encerrar o Fleets (os Stories do Instagram) em agosto deste ano. O mesmo aconteceu com o LinkedIn, que concluiu que os usuários preferiam criar conteúdos duradouros sobre suas histórias profissionais.

Já o Pinterest pode ter uma visão mais interessante, com histórias (chamadas de Pins de ideias) que não desaparecem. Ainda é cedo para uma perspectiva, então vale acompanhar para entender se esta é uma ferramenta tão poderosa quanto os Stories para o Instagram.

Stories: próximos passos

Um estudo recente sobre como as marcas usam as histórias do Instagram, conduzido pelo Rival IQ, descobriu que uma marca postava em média 9,9 vezes no Stories do Instagram por mês em 2020, contra 9,4 em 2019. Marcas mais ativas chegavam a postar 16,1 stories em média por mês, cerca de duas vezes mais do que em 2019.

Entretanto, de acordo com análise do eMarketer, os gastos com anúncios no Instagram Stories podem levar a funcionalidade a uma estabilização, em virtude da alta carga de anúncios. Se os consumidores costumam deixar claro que odeiam publicidade, é importante que a rede social leve em conta e pise no freio a fim de preservar os Stories.

Marketing de influência e vídeos curtos

Outro ponto que merece destaque quando o assunto são os Stories é o marketing de influência. Os creators e influenciadores têm usado a funcionalidade amplamente.

Uma pesquisa de março de 2021 feita por uma empresa de marketing de influência Linqia revelou que 83% dos profissionais de marketing dos EUA planejavam usar o Instagram Stories para o marketing de influenciadores este ano.

Além disso, vale entender a incrível ascensão do ecossistema de vídeos curtos, especialmente  do TikTok: o uso esperado cresceu de 16% dos entrevistados em 2019 para 68% em 2021.

Assim, já não há como negar que o TikTok é um divisor de águas que abocanhou, durante a pandemia, muito do tempo de tela que era tradicionalmente gasto no Instagram. Uma pesquisa de março de 2021 conduzida pela CivicScience, entre os usuários de internet dos EUA com 13 anos ou mais, 17% disseram que assistiam vídeos regularmente em plataformas como TikTok ou Reels, em comparação com 12% que relataram fazer isso em Stories.

4 maneiras efetivas de usar os Stories do Instagram, de acordo com especialistas

Aposte na interatividade

O melhor dos Stories é poder usar a ferramenta para promover enquetes, incentivar o usuário a perguntar algo ou criar e usar adesivos exclusivos. Além destas, há diversas outras opções criativas para a interatividade, como vídeos curtos de entrevistas e até cortes de livestreamings.

Crie em tempo real

Além da interatividade, a possibilidade de criar conteúdos inovadores e com poucos recursos é outro benefício dos Stories. Assim, é interessante mostrar a marca de uma forma pouco explorada, como o “backstage” e o dia a dia, em tempo real. Estas duas ideias são muito apreciadas para transmitir um pouco mais dos valores e da cultura de uma empresa.

Promova conteúdo de outros canais

Usar os Stories para promover vídeos IGTV ou um próximo Instagram Live, bem como para complementar algum outro conteúdo do feed ou levar as pessoas a assistir a um vídeo completo na IGTV é muito positivo. Assim, as histórias são uma ótima ferramenta para levar as pessoas a outros lugares, até mesmo para fora do Instagram.

Fique de olho no Social Commerce

O Social Commerce [1] deve evoluir nos Stories em breve. Integrações de checkout podem estar a caminho, e é possível que a compra acabe sendo uma opção mais natural nas Histórias do que no TikTok ou em vídeos curtos. Vale ficar de olho e sair na frente ao usar esta facilidade.

Você pode gostar
Leia mais

Livestreaming de beleza

De acordo com o eMarketer, em 2020, houve crescimento de quase 10% do varejo em beleza na China.…