Twitch é o livestreaming preferido da GenZ

73% dos usuários da plataforma têm menos de 34 anos e 41% do público têm entre 16 e 24 anos, de acordo com dados do GWI

Inicialmente criado para fãs de games, hoje o Twitch, da Amazon, é usado para quem tem interesses diversos. O ecossistema de livestreaming, assim como o de vídeos curtos, vem se tornando cada vez mais relevante entre os produtores de conteúdo e apreciadores. 

Dentre as plataformas, o Twitch representa um dos principais, com mais de 17 milhões de downloads em 2020. O Brasil ocupa a segunda posição no ranking de downloads, com 10 milhões em 2020.

Mesmo com o crescimento, há de se destacar o maior desafio da plataforma: pela própria natureza imprevisível dos livestreamings, como seria possível estabelecer diretrizes claras de boas práticas, sem perder usuários? 

A seguir, vamos falar mais sobre o crescimento do Twitch e como a plataforma pode ser útil para a sua marca. 

Mais sobre o Twitch

O Brasil fica na vice-liderança global de utilização do Twitch, de acordo com o relatório “O mercado de games no digital”, realizado pela Comscore. Em média, a Twitch possui 26,5 milhões de visitantes diários e mais de 6 milhões de criadores desenvolvendo livestreamings todo mês. 

Ainda segundo o estudo da Comscore, o Brasil totaliza 5.558 visualizações únicas no Twitch, atrás apenas dos Estados Unidos (27.248). Os brasileiros gastam em média 6,37 horas por mês na plataforma, não apenas para transmissões de games, mas também de outros conteúdos voltados para arte e entretenimento.  

A popular categoria “Just Chatting”, voltada para transmissão de conversas e trocas de ideias, cresceu 84% entre março e junho de 2020, enquanto a vertical de música cresceu 309% no mesmo período.

Apesar da existência de categorias não relacionadas a jogos no Twitch datarem de muito antes da pandemia, a audiência aumentou entre janeiro de 2020 e julho de 2021. Coletivamente, os cerca de 300 milhões de horas assistidas em categorias não relacionadas a jogos representaram quase 20% das visualizações do Twitch no mês de julho, enquanto 234 milhões dessas horas vieram do Just Chatting. Assim, esta torna-se de longe a categoria mais popular na plataforma.

Vale ressaltar que 73% dos usuários do Twitch têm menos de 34 anos e 41% do público têm entre 16 e 24 anos, de acordo com dados do blog GWI, de 2019. O próprio Twitch sinaliza que 39% de seu público não é alcançável via TV tradicional e, desse total, cerca de 9% não assistem TV. Com isso, para uma boa parte da audiência, o Twitch se mostra um aliado para conteúdo personalizado. 

Desafios da plataforma

Em uma transmissão ao vivo, é difícil moderar ou ter qualquer tipo de controle ou vigilância sobre o que é veiculado. 

Dessa forma, o Twitch está contratando mais moderadores profissionais para supervisionar seu conteúdo e reduzir o tempo médio de resposta do usuário em 96%, de acordo com seu relatório de transparência interno.

Para Tom Morris, analista de insights de jogos da empresa de pesquisa de consumidor GWI, trata-se de “uma questão de segurança da marca. Há muito mais marcas interessadas em fazer parte do jogo, e a última coisa que alguém quer fazer quando se envolve é se aliar a alguém que não necessariamente retribui seus valores.”

4 boas práticas para utilizar o Twitch em seu negócio

Aproveite a tendência dos e-sports

Por ser uma plataforma voltada, antes de tudo, para o público gamer, vale a pena investir nas famosas competições de esportes eletrônicos. Além disso, patrocinar jogadores importantes também pode ser uma maneira de interagir e chamar atenção para seu negócio.

Use o Twitch para eventos e tutoriais

Durante o isolamento social, muitas marcas usaram o Twitch para substituir eventos e marketing de experiência. Assim, aposte em criar masterclasses e entrevistas, desempacotar produtos, apresentar produtos e outras experiências imersivas que tenham a ver com seu nicho. 

Invista em parcerias

Canais de marcas não costumam empolgar muito no Twitch, por este motivo, é mais interessante firmar parcerias com influenciadores que tenham relevância para o seu segmento. Outra possibilidade é investir em streams patrocinados, que representam uma maneira estratégica de apresentar produtos a novos espectadores.

Cuidado com crises

Por ser imprevisível e totalmente ao vivo, o Twitch é uma faca de dois gumes: autêntico, porém sem controle. Além disso, alguns recursos da ferramenta podem causar problemas para marcas, como ocorreu em 2018 com o KFC. A marca criou um emote (emoji específico da marca ou influencer) de frango frito, que passou a ser usado por grupos extremistas para ofender influenciadores negros na plataforma. Assim, é preciso pesquisar ao máximo o nicho e entender a forma com que as pessoas se expressam, a fim de antever e minimizar crises.

Você pode gostar
Leia mais

SEO: ainda relevante, mesmo após 20 anos

75% dos profissionais de marketing ainda consideram o SEO como a mais eficiente tática do marketing de conteúdo  Search Engine Optimization. Quem nunca ouviu falar de SEO nunca trabalhou com…