Spotify irá faturar US$1B com publicidade

A receita mundial de anúncios da plataforma deve aumentar 29,6% este ano e alcançar US$ 1,10 bilhão, de acordo com o eMarketer

Os aplicativos de áudio digital estão cada vez mais populares, mas com a quarentena os números apresentaram forte queda. No caso específico do Spotify, a diminuição dos usuários mensais ativos levou a uma considerável redução também dos investimentos por parte dos anunciantes.

Entretanto, em 2021 não só a big tech sueca se recuperou, mas apresentou ideias inovadoras. O objetivo era abocanhar uma parcela importante do mercado de streaming de áudio, mesmo tendo concorrentes de peso, como Apple Music e Pandora, populares especialmente fora do Brasil. 

No decorrer da leitura de hoje, vamos abordar melhor o cenário do Spotify, as atualizações que a plataforma vem implementando e extrair lições valiosas que a big tech ofereceu mesmo em tempos de crise. 

Números do Spotify em tempos de pandemia

Considerada a maior plataforma de streaming de música do mundo, o Spotify foi criado em 2006 pelo sueco Daniel Ek, mas foi em 2009 que obteve sucesso, ao lançar sua versão mobile e estourar no Reino Unido. 

Desde então, a plataforma foi crescendo e conta, atualmente, com impressionantes 159 milhões de usuários ativos e 70 milhões de usuários pagantes. Além dos inscritos, a plataforma conta com slots de publicidade abertos a anunciantes externos. Com a pandemia e dramática redução de tempo na plataforma, dados do eMarketer revelaram que as receitas de anúncios do Spotify caíram 21% no segundo trimestre de 2020. 

Já no terceiro trimestre, as receitas voltaram a ter bom crescimento em relação ao anterior e então aceleraram para 29% no quarto trimestre. No início de 2021, as receitas de anúncios aumentaram impressionantes 46%.

Ainda de acordo com o eMarketer, a previsão é de que o segundo semestre do ano contará com crescimento robusto de publicidade, especialmente considerando o fraco comparativo do ano passado.

Estratégias da plataforma para se manter relevante

Um dos principais diferenciais competitivos do Spotify é a parceria com creators influentes. Com o crescimento cada vez mais acelerado do ecossistema de podcasts, o Spotify tem adquirido direitos de streaming exclusivos para diversos programas, como o de Joe Rogan e o de Alexandra Cooper, classificados consistentemente entre os 100 melhores podcasts da Apple.

Com isso, o eMarketer estima que a receita mundial de anúncios do Spotify aumentará 29,6% este ano, para chegar a US$ 1,10 bilhão e os ouvintes do Spotify nos Estados Unidos poderão chegar a 83,1 milhões, com crescimento de 8,2% (43,6 milhões) de assinantes premium. 

Assim, os ouvintes de podcast do Spotify nos Estados Unidos crescerão 41,3% este ano para chegar a 28,2 milhões. Isso colocaria o Spotify à frente dos ouvintes do Apple Podcast no final de 2021.

Além disso, a plataforma ainda espera emplacar outras novidades, como a venda de assinaturas, o formato de DJ de rádio digital “Music + Talk” para criadores e o aumento do aplicativo para chats concorrente do gigante do social audio Clubhouse.

4 lições que o Spotify oferece para se recuperar em tempos de crise

Foco em segmentação

A criação de novas funcionalidades revela a importância de focar na segmentação com base em público. O sucesso obtido pelos anunciantes interessados ​​em áudio digital e podcasts, motivou a expansão da rede para novos mercados e formatos.

Diferencial de concorrentes

O eMarketer estima que o Spotify ultrapasse a Apple Music em número de ouvintes de podcasts até o final de 2021. O fato é que a companhia descobriu que as parcerias exclusivas eram uma vantagem competitiva frente aos concorrentes. 

Comprometimento com creators e interatividade

“Music + Talk” é um projeto que vai permitir que os hosts reproduzam música e falem, simulando uma experiência de rádio ao vivo. A ferramenta está sendo comercializada pesadamente para os creators, que podem usá-la para reproduzir faixas de todo o catálogo de música do Spotify, sem se deparar com problemas de direitos autorais que afetam plataformas como o YouTube. Além disso, os ouvintes também podem interagir com as músicas do programa sem sair da página. 

Inovação sempre

Com o número de usuários de serviços digitais de áudio subindo, o Spotify busca entender as motivações de seu público. Eles demonstram interesse em podcasts tanto quanto em música e é por isso que novos formatos, como o Digital DJ, o Greenroom e os serviços de assinatura de podcasts específicos foram criados. 

Você pode gostar
Leia mais

Livestreaming de beleza

De acordo com o eMarketer, em 2020, houve crescimento de quase 10% do varejo em beleza na China.…