Como os pagamentos digitais afetam seu e-commerce

Com a chegada do Pix e perspectiva de negócios no Whatsapp Pay, é hora de estar de olho nas oportunidades

O mercado de pagamentos digitais do Brasil ainda está amadurecendo, mas com a pandemia e a necessidade de pagamentos a distância, o número dessas transações aumentou consideravelmente. Com a chegada do PIX, muitas pessoas aderiram ao sistema graças à rapidez e praticidade em transferências e quitação de débitos.

Os pagamentos digitais podem se tornar padrão em breve, já que eles conectam empresas e clientes e permitem que as pessoas resolvam tudo na palma da mão e em questão de segundos.

De acordo com dados do Mobile Time, o sistema de pagamentos instantâneos PIX, administrado pelo banco central do Brasil, processou 1,05 bilhão de transações, totalizando R$787 bilhões, entre novembro de 2020 e março de 2021.

Os pagamentos por aproximação e as carteiras digitais globais, como Google Pay e PayPal, também foram relevantes nesse processo de digitalização de pagamentos. Estes, inclusive, demonstram interesse em uma possível parceria com a PIX, especialmente a fim de aumentar o alcance global e os adeptos.

Além disso, o Whatsapp Pay, que ainda funciona exclusivamente de pessoa para pessoa (ou seja, não é utilizado por empresas), também pode cair nas graças do público para efetuar e receber pagamentos.

Vamos abordar, no decorrer da leitura, algumas características do mercado digital no Brasil e saber mais sobre como essa mudança de comportamento pode ser benéfica aos seus negócios.

A transformação digital no sistema financeiro brasileiro

Definitivamente, o ano de 2020 entrou para a história da transformação digital no sistema financeiro do Brasil. De acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), cerca de 61% dos brasileiros das classes A, B e C que possuem smartphones já são usuários recorrentes desta dos pagamentos via carteira digital. Dentre eles, 47% dos consumidores destacam a praticidade como diferencial, enquanto 53% ressaltam as transações imediatas e a confirmação instantânea.

O pagamento via proximidade e ponto a ponto (P2P) chegaram ao mainstream, graças a um aumento pandêmico dos pagamentos digitais que está vindo para ficar. Essa tendência está levando os provedores a diversificar suas ofertas e competir por participação no mercado.

Whatsapp Pay representa menos burocracia

O WhatsApp enfrentou obstáculos ao lançar seu serviço de pagamentos em todo o mundo, com reguladores citando preocupações antitruste, sendo até mesmo suspenso, logo após seu lançamento inicial em junho de 2020.

De acordo com o eMarketer, o serviço de pagamentos do WhatsApp tem tudo para ser um sucesso, uma vez que quase todos os usuários de smartphones do Brasil usam a rede de troca de mensagens instantâneas (são quase 112,8 milhões de usuários em 2021).

A autorização do WhatsApp Pay no ​​Brasil é uma oportunidade para o Facebook estabelecer uma presença dominante no espaço de pagamentos digitais, mas ainda enfrenta forte concorrência, especialmente com o PIX e as carteiras digitais. O PIX pode, inclusive, representar um desafio para a entrada do WhatsApp nas lojas. Não está claro se o serviço de pagamentos do WhatsApp será capaz de mergulhar nos pagamentos na loja  o governo brasileiro pode procurar preservar a autonomia em seu mercado de pagamentos, sentimento ecoado por outros governos, e não permitir que o WhatsApp se arrisque além dos pagamentos P2P.

De qualquer forma, em um país com cerca de 45 milhões de pessoas que não têm ou não movimentam uma conta bancária há mais de seis meses, soluções rápidas e que minimizem a burocracia no âmbito financeiro podem representar grandes oportunidades tanto para os varejistas, quanto para fintechs inovadoras.

4 dicas para surfar na onda dos pagamentos digitais

Reduza a fricção do pagamento

Contar com um bom site e um app melhor é fundamental em uma era de crescimento de e-commerce. Fricções no pagamento como sistema anti-fraude mal configurados prejudicam a experiência como um todo. Por isso, aposte em carregamento rápido, facilidade de navegação e até ofertas e descontos exclusivos.

Aposte em soluções que tenham a ver com seu negócio

Empresas parceiras oferecem opções como integração direta, com toda a gestão de pagamentos realizada por elas ou funcionam como pontes entre bancos digitais ou tradicionais, empresas de liquidação financeira, marcas e clientes. Há uma série de contratos diferentes, de acordo com o perfil do seu negócio, por isso, vale pesquisar antes de escolher.

Crie o perfil do seu negócio no Google My Business

Além da geolocalização que permite que seu negócio seja encontrado pela sua audiência e a divulgação de informações como horários de funcionamento e avaliações de clientes, você pode explicitar métodos de pagamento aceitos e destacar produtos no próprio Google Shopping.

Garanta o melhor checkout para os clientes

Focar em segurança e transparência também é uma forma de fidelizar. Por isso, evite ferramentas de direcionamento. Priorize aquelas que permitam que o consumidor conclua a transação no próprio site ou aplicativo, além, é claro, de demonstrar que o cliente está em ambiente seguro ao concluir a compra.

Você pode gostar
Leia mais

SEO: ainda relevante, mesmo após 20 anos

75% dos profissionais de marketing ainda consideram o SEO como a mais eficiente tática do marketing de conteúdo  Search Engine Optimization. Quem nunca ouviu falar de SEO nunca trabalhou com…
Leia mais

Marketing digital sem cookies: a importância de construir sua audiência

Google pretende retirar os cookies de terceiros do seu navegador, Chrome, em 2022.  Navegador é padrão para cerca de 70% dos usuários de internet  De um lado, os defensores da privacidade de dados; do outro, as empresas, que, por meio dos cookies, têm seus anúncios veiculados de forma certeira e personalizada.   No meio desse conflito, estão o…