Chinesa Shein ultrapassa Amazon nos EUA

Marca é frequentemente mencionada como favorita da Geração Z dentre os sites de moda e vestuário em todo o mundo, superando até mesmo Nike, H&M e Asos

O comportamento do consumidor está sempre em evolução e as marcas precisam estar de olho para não ficarem para trás. Assim como o TikTok é a plataforma preferida da Geração Z, estando à frente até mesmo do Instagram, marcas como a chinesa Shein podem se destacar e abocanhar a preferência do público “antenado” em moda.

Citada, inclusive, como o TikTok da moda, em 17 de maio, a Shein chegou a ser o principal aplicativo de compras para iOS em 54 países e estava no topo da categoria em dispositivos Android em 13 países, de acordo com App Annie.

A seguir, vamos entender um pouco sobre a marca de fast fashion chinesa e as lições que seu crescimento pode ensinar, especialmente para quem deseja atrair o público mais jovem, conhecido como “Geração Z”.

Um breve histórico da Shein

Mesmo com o isolamento social e a pandemia, o varejo de roupas e acessórios só cresceu, especialmente no e-commerce. De acordo com previsão do eMarketer, as vendas online no varejo de roupas e acessórios nos EUA atingirão US$304,57 bilhões até 2025.

Nesse contexto, marcas consideradas inovadoras acabam chamando atenção, especialmente de quem busca custo acessível e grande variedade.

Fundada em 2008, a Shein é conhecida pela grande variedade na produção de roupas modernas e de custo acessível de fabricantes chineses.

Ao contrário da Amazon, que conta com vendedores terceirizados e atua como um agregador de produtos, a Shein possui não apenas os produtos e seu processo de criação, mas também os dados de seus usuários.

Caindo nas graças de Youtubers e influenciadores do TikTok, a empresa é avaliada em mais de US$15 bilhões e fechou 2020 com quase US$ 10 bilhões em receitas. Nos últimos oito anos, a marca cresceu mais de 100% a cada ano.

De meados de fevereiro até 18 de maio, a Shein estava em segundo lugar depois da Amazon para aplicativos de compras nos Estados Unidos, mas a empresa agora ocupa o primeiro lugar no iOS em 56 países globalmente e está entre os 5 primeiros em 124 dos 174 países onde está disponível.

Apesar da hegemonia da Amazon, (56% dos adolescentes a mencionaram como sua plataforma preferida para compras online), a popularidade crescente de Shein deve chamar a atenção de marcas e varejistas.

A proporção de adolescentes norte-americanos que disseram preferir Shein para as compras digitais aumentou de 5% para 7% entre as pesquisas do outono de 2020 e da primavera de 2021 e deve continuar crescendo nos próximos anos.

4 lições valiosas sobre o crescimento da Shein

Conheça muito bem sua audiência

Os jovens da Geração Z são os que mais compram na Shein e os que mais baixaram o aplicativo da marca. Dessa forma, a startup cria produtos tendo as preferências deles em mente: por meio de algoritmos, a marca busca desenvolver novos produtos direcionados a diferentes regiões com base no gosto do usuário selecionado todos os dias.

Abrace a diversidade

Dentro da Geração Z, há diversos públicos, com base em preferências, necessidades e estilos. Por isso, a Shein buscou diversificar seus produtos, que frequentemente são elogiados por contemplarem tamanhos maiores e serem produzidos a partir de diferentes materiais. Conhecer a audiência e compreender a pluralidade dela é um diferencial.

Aposte em creators

Além dos anúncios pagos, a Shein investiu em influenciadores das principais plataformas utilizadas por sua audiência, tais como TikTok, Instagram, Pinterest e Facebook. Além de se tornar mais vista, com foco na etapa de awareness, ela priorizou a parceria com influenciadores e conteúdos com foco na experiência de compra (entrega, experimentação de produtos e etc).

Invista em ter a melhor experiência no seu APP

Ainda apostando na experiência, o alto número de downloads do app da Shein demonstra que um aplicativo com boa performance, fotos e descrições atrativas dos produtos e política de bônus ainda são vantagens que atraem a audiência.

Você pode gostar
Leia mais

SEO: ainda relevante, mesmo após 20 anos

75% dos profissionais de marketing ainda consideram o SEO como a mais eficiente tática do marketing de conteúdo  Search Engine Optimization. Quem nunca ouviu falar de SEO nunca trabalhou com…